Ator amazonense Adanilo Reis estreia como diretor de curta metragem

2019 será um ano importante para o ator Adanilo Reis. Além de estrear nos cinemas em dois longas aguardados pela crítica nacional, “Marighella” (primeira direção do ator Wagner Moura) e “Um dia Qualquer” (de Pedro Von Kruger), o amazonense também irá se lançar como diretor e roteirista no curta-metragem “Decisões no Frio ou A Temperatura Incerta”. Reis já havia participado da direção de curtas de cunho experimental, mas esta será sua primeira produção mais próxima das especificidades audiovisuais.

Elenco do filme DECISÕES NO FRIO
Elenco do filme. Foto: Adanilo Reis

A história do curta-metragem gira em torno da vivência de um grupo de amigos que procuram resolver questões em suas vidas relacionadas com o espaço em que vivem, cercado pela natureza e pela modernidade. A inspiração de Adanilo foi o bairro de Vargem Grande, no Rio de Janeiro, cidade onde já mora há cerca de três anos.

“Vargem Grande é um lugar que abriga paisagens naturais, como cachoeiras e florestas, sem perder a relação com a modernidade da cidade grande. Depois que me mudei pra cá, levado também pela saudade dessa vivência em um lugar mais amazônico, me senti instigado a criar personagens que relacionassem suas problemáticas com esse tipo de ambiente”, comenta o artista sobre a obra independente.

No vídeo lançado para a campanha de financiamento do longa, lançada em setembro, a equipe explica um pouco esse processo:

A produção do filme é do grupo Teatro Galeroso, fundado por Adanilo e gerenciado por ele e outros dois parceiros, Rafael Anarolli e Sofia Sahakian. O grupo produz peças de teatro e trabalha com a ideia da integração de diferentes tipos de artes, como o cinema e a dança. Uma das inspirações do trio no quesito de direção são filmes de Terence Malick, Sarah Adina, Jorge Furtado e alguns de Andrei Tarkovsky.

Adanilo deixa ainda uma dica para os artistas que assim como ele desejam se aventurar no campo cinematográfico, em especial na produção de obras: “Viver de arte é bastante difícil, ainda mais agora com as propostas do novo presidente eleito por nós brasileiros. Mesmo assim acho que é questão de não desistir, de abrir a percepção e sensibilidade para escutar o espaço, as pessoas e as situações que te cercam e estabelecer um diálogo com você, pra aí sim ver como consegue compartilhar”.

Anúncios