Cinema

Cinco filmes que me fizeram perder tempo em 2018

Manaus – 2018 já está chegando ao fim e é o momento de refletir sobre o tempo que vivemos. Nos cinemas e sistemas de home video, muita coisa boa chegou até nós, assim como muita coisa ruim, o que nos faz refletir sobre o tempo perdido que nunca mais será recuperado. Pensando nisso, elaborei uma lista dos piores filmes lançados esse ano. Confira!

05 | Verdade ou Desafio

Foto: Divulgação / Blumhouse Productions


Uma turma de jovens viaja ao México e têm contato com a brincadeira do Diabo. De lá, voltam aos Estados Unidos, carregando a maldição e precisam se livrar dela antes que os destrua. Essa é a proposta de Verdade ou Desafio, uma pena, porém, que seja muito mal executada. Os personagens são os estereótipos adolescentes mais típicos e irritantes. As cenas de terror optam por mostrar um terror físico, porém são bastante previsíveis e não-intencionalmente engraçadas.

O destaque nesse humor não-intencional vai para as cenas do rosto com o sorriso do coringa que não convencem e acabam tirando a tensão que o filme se propõe a passar. O longa almeja chegar ao nível de filmes adolescentes nostálgicos como Pânico, Eu Sei o Que Vocês Fizeram no Verão Passado e Premonição, mas a tensão oscila tanto ao longo da trama que ele acaba se passando por um terror clichê farofa e muito cansativo.

Nota: 4/10 pela comédia não-intencional

04 | Megatubarão

Foto: Divulgação/
Warner Bros. Entertainment

Um tubarão pré-histórico surge de dentro de uma fenda no mar e ataca pesquisadores e banhistas, espalhando pânico e destruição por onde passa. Roteiro saído dos anos 70? Não, é apenas a premissa de Megatubarão, longa de 2018 que chega a ser engraçado de tão absurdo. O filme ainda consegue construir algum suspense nas cenas iniciais onde o monstro não é mostrado e também cenas divertidas como as referências a procurando Nemo e Tubarão de Spielberg.

Porém, apresenta vários absurdos e pontas soltas no roteiro, não desenvolve bem os personagens e, pra completar, ainda traz Jason Statham como um típico ‘macho man’ dos anos 80 que é capaz de lutar mano a mano com um tubarão de 25 metros. Demais para acreditar. O absurdo é tanto que no final das contas, é melhor pular direto para outro filme que não se leva tão a sério, como Sharknado ou Piranha 3D.

Nota: 3,5/10 – melhor continuar a nadar

03 | Venom


Foto: Divulgação / Sony Pictures Entertainment

Desde a publicação dos primeiros trailers, Venom já figurava na lista dos filmes mais aguardados de 2018.  A expectativa já era grande pelos fãs após a torta aparição do vilão em Homem-Aranha 3 (2007). Porém a remição não veio com esse filme. Mesmo tendo nomes de peso no elenco como Tom Hardy e Michelle Williams (ambos já indicados ao oscar), Venom se apresenta como um grande mix de efeitos bizarros, roteiro cheio de furos e atuações constrangedoras.

Quem esperava um filme cheio de ação visceral e violência teve de se contentar com a maior parte das cenas retratando o “romance” entre o protagonista Eddie Brock e seu parasita Venom com direito a DRs infinitas, piadas clichês e beijos. Infelizmente, Venom não explora o que poderia ter sido e dá a impressão de que você está assistindo a um filme genérico de herói saído dos anos 2000.

Nota: 3,5/10 pela última aparição do Stan Lee antes de ter ido embora

02 | O Predador


Foto: Divulgação / 20th Century Fox

Quem esperou que a franquia Predador fosse ter uma redenção se decepcionou mais uma vez pois  O Predador é definitivamente um filme inferior às (já baixas) expectativas. Um novo predador cai na terra e nesse momento, um atirador de elite que estava convenientemente no local rouba o artefato do bicho, e isso inicia um embate entre os alienígenas e os humanos.

Em meio a esse roteiro estapafúrdio, o filme conta com um elenco interessante que se perde em arquétipos já manjados de filmes americanos: a criança superinteligente, a cientista que luta caratê (???), o enfezado que não leva desaforo, o piadista que não perde a oportunidade, o protagonista herói de todos.

Além disso, traz uma infinidade de cenas clichês, histórias mal desenvolvidas e uma infinidade de erros de ritmo e continuidade que te fazem cansar de assistir na metade. Infelizmente, após vários filmes que não entregaram o esperado, a franquia Predador vai recebendo mais uma camada de pá de terra após a bagunça que foi esse filme.  

Nota: 3/10, pelo cabelo estiloso dos aliens dogs

01 | Boneca Maldita

Foto: Divulgação / Netflix

Convenhamos que não há como esperar muito desse filme. O trailer já indicavam uma qualidade cinematográfica bem inferior às produções convencionais de Hollywood. Porém ao assistir Boneca Maldita, essas expectativas ruins se superam infinitamente. A trama conta a história de uma menina órfã que é aterrorizada por uma entidade demoníaca que mora dentro de sua (horrenda) boneca.

Soa familiar? Não é à toa. O filme acaba sendo uma cópia malfeita de Annabelle, pegando carona na bem-sucedida franquia Invocação do Mal de James Wan. Isso sem falar nos clichês da casa assombrada por demônios, diálogos super engraçados de tão confusos e a profusão de cenas que não causam temor algum, como a cena em que a menina, inesperadamente, abre um aplicativo “rastreador de fantasmas” à procura do demônio escondido em sua casa.  

Com esse mix de bizarrices, Boneca Maldita faz Annabelle parecer um clássico atemporal do terror, figurando como o pior filme lançado em 2018.

Nota: 2/10, pelo app Ghostbusters

Menções honrosas:

  • Um Lugar Silencioso – Tem excelente pano de fundo, mas muito mal explorado. Além disso, a estupidez dos personagens e o excesso de drama em torno deles tornam a trama irritante e cansativa.
  • Círculo de fogo: A Revolta – Diretor novo não consegue segurar a onda de Del Toro e a sequência acaba ficando muito atrás do original, principalmente pelas cenas clichês e o mal desenvolvimento dos personagens.
  • A Freira – Possui quase os mesmos elementos assustadores da franquia Invocação do mal, porém levados menos a sério. Com o diminuir da adrenalina, o filme acaba se tornando entediante.
  • Os estranhos – caçada noturna – A atmosfera de terror doméstico se esvai nesse segundo filme com o acumulado de vários clichês, o que acaba tornando o filme facilmente esquecível.
Anúncios

Designer e cinéfilo em ascensão com gosto um tanto bipolar para filmes: da Pixar ao horror splatter, do alternativo ao blockbuster, do filme de garagem às megaproduções.

0 comentário em “Cinco filmes que me fizeram perder tempo em 2018

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: