Bagagem emocional: Já pesou a sua hoje?

A verdade é que todos estamos carregando mochilas nas costas que contém as lembranças, lições e respostas que selecionamos como importantes desde o dia em que nascemos. Uns têm mochilas maiores do que outros, uns aguentam mais peso do que outros, mas isso não importa. Todos estamos com o mesmo hábito ruim de empurrar mais e mais coisas dentro dessas mochilas sem antes pensar, até que o zíper não fecha mais e acaba quebrando. Ninguém mais parece ter nedo de rasgar suas mochilas e isso é muito perigoso…

Sabe aqueles momentos em que você se sente mais pesado que o normal? Em que a cabeça dói, os ombros tensionam, o sono vai embora do nada e parece até que você tem carregado uma mochila cheia de tijolos nas costas há dias? Então… provavelmente não é a sua consciência te castigando especificamente porque você fez aquela coisinha errada uns dias atrás ou porque você mentiu pro seu melhor amigo hoje.

Eu sei que a gente desde pequeno foi ensinado a pensar nas causas imediatas dos nossos problemas para solucioná-los o mais rápido possível, mas se esse peso tem te colocado pra baixo dessa forma e te impedido de viver em paz, é porque provavelmente ele veio se acumulando de todas as vezes que você esqueceu de pesar a sua bagagem emocional. E não vai ser de uma hora pra outra que ele vai embora. Ainda mais que a bagagem emocional nada mais é do que a junção de TODAS as lições, emoções e lembranças das experiências que você viveu até hoje e que ficaram na sua memória, ou seja, não é pouca coisa.

Mas o que nem todo mundo se dá conta é que essa bagagem ao mesmo tempo que pode puxar a pessoa pra baixo, pode alavancar a sua energia nas alturas. Por isso eu sempre digo que ela é algo que necessariamente precisa de monitoramento para que você tenha tranquilidade emocional, ou melhor dizendo, o tal do controle emocional que tanta gente fala e escreve sobre.

Sem a pesagem da tua bagagem emocional o teu dia a dia pode virar um caos. Teus pensamentos entram em rota de colisão porque você não consegue parar de pensar nos problemas; teus músculos ficam cheios de tensão porque você se sente incapaz de controlar a própria vida; você fica com dores pelo corpo de tanto nervosismo, tem torcicolos e enxaquecas; o choro resolve aparecer nos momentos mais inesperados tipo no banheiro da lanchonete, na cadeira da faculdade, no colo do(a) namorado(a) e dos amigos; até o Sol começa a te irritar se você duvidar. E de onde vem tudo isso?

Você tem carregado um peso enorme nas costas sem perceber durante um bom tempo e isso acabou gerando uma quantidade absurda de ansiedade no teu corpo. Eu sei que tudo parece estar girando fora lugar mas calma, porque por mais que o Brasil seja o país mais ansioso do mundo, é algo que você pode mudar aos poucos na sua rotina pessoal. Se eu consegui depois de anos e anos fugindo desse confronto com a minha bagagem emocional, você também consegue.

O primeiro passo é perceber que esse peso extra existe nas suas costas, que está ali te prejudicando e que você precisa corrigir isso!

E pensando nesse problema, eu montei uma forma talvez um pouco mais simples para que todos entendam como esse peso funciona. Uma analogia rápida para ajudar quando estiverem paralisados por causa da ansiedade:

Imagine a sua bagagem emocional como uma mala de viagem comum.

Às vezes, quando você tem a chance de viajar por aí, acaba ficando tão imerso nas novas experiências do lugar, que nem sempre percebe o peso da mala aumentando com as coisas que compra ou ganha de presente. Você só vai jogando esses itens dentro da mala sem pensar, achando que não tem problema levar mais aquele souvenir e aquela calça jeans que estava na promoção até que se dá conta de que a mala ultrapassou o limite de peso e você começa a entrar em desespero. E é justamente nessas horas que você entende que o impulso de não pesar a sua mala te coloca nas piores das situações.

Nesse caso específico da viagem, você vai ter que ficar no final da fila do check-in não podendo embarcar, enquanto todo mundo fica olhando e com apenas duas possíveis saídas: ou você paga bem mais caro para continuar com esse excesso de peso na bagagem, ou você abre sua mala e tira as coisas que agora já não importam tanto quanto você imaginava na hora que comprou. De um jeito ou de outro você vai precisar decidir entre continuar com o peso ou abandoná-lo para poder seguir viagem.

Pronto, essa foi a analogia.

Agora, se você parar e refletir um pouquinho mais, vai perceber que é exatamente assim que acontece na “vida real” também. Cada um de nós passamos por experiências únicas e individuais, ou seja, você possui uma bagagem emocional com um limite de peso específico que só você aguenta, e isso é normal. Outras pessoas podem aguentar menos ou mais peso que você e isso realmente não importa, porque tudo que ultrapassa esse limite vira peso extra e acaba atrapalhando vocês todos da mesma forma, quase que prendendo seus pés ao chão.

Muitos podem até dizer que não se importam em carregar toda essa tensão nas costas, mas no fundo no fundo a gente sabe que é mentira. Todo mundo quer ter paz e controle do que acontece. E como é justamente a partir das suas reações às experiências da vida que faz esse peso aumentar ou diminuir, só você tem o poder de controlá-lo. É tudo uma questão de percepção e escolha.

Se você passa por um término ruim, por exemplo, e guarda rancor no coração, isso aumenta o peso da sua bagagem. Se você brigou com os amigos ou com os seus pais e não conseguiu perdoá-los ou pedir desculpa até hoje, isso também pode aumentar o peso da sua bagagem. Assim como se você mentiu e se arrependeu, mas não fez absolutamente nada para se redimir; Se você teve a oportunidade de fazer o bem a alguém que precisava, mas preferiu não se dar ao trabalho de ajudar; Se você faz algo ruim de propósito e não consegue se livrar da culpa; Tudo isso aumenta o peso.

E o pior é que essa negatividade toda que você colocou na sua bagagem emocional e que está te atrapalhando de viver talvez nem esteja na bagagem das outras pessoas envolvidas nas tuas memórias ruins. Você sente que está carregando peso extra “a toa” e começa a sentir raiva de si mesmo, o que só piora a situação.

Por isso, quando você tiver um tempinho, observa esse peso que você tem carregado. Se ele estiver pesando mais do que o seu limite, faça alguma coisa a respeito. Abra seu coração e tire tudo de ruim que te puxa pra baixo e que tem te impedido de voar mais alto. E não dê ouvidos aos que tentam pesar a sua mala na base do “olhômetro”. Quem julga o peso nas tuas costas sem perguntar da tua história, por onde você passou e o que você escolheu trazer de bagagem dos momentos que viveu, nunca vai saber o real peso que você carrega. Só você vai.

E pra dar mais uma forcinha, aqui vão 3 dicas de  como pesar a sua bagagem emocional:

1- Observe se você tem os sintomas de uma “bagagem cheia demais”:

*Você se sente irritado o tempo todo?

*A ansiedade consome a tua energia diariamente?

*Você se estressa fácil com pequenos problemas?

*As pessoas andam perguntando por que você está tão pra baixo?

*Você anda realizando atividades compulsivas? (Ex: álcool, drogas, crises de choro e raiva.)

2- Descreva a si mesmo os motivos mais evidentes desse peso:

*Escreva em um papel ou no celular quais sãos os principais problemas na sua vida hoje.

*Depois, de um por um tente lembrar de onde e quando surgiram.

*Tente escrever pelo menos uma coisa boa que surgiu a partir de cada situação.

*Apague os problemas e deixe escrito apenas as coisas boas.

*Repita o que sobrou na 1a pessoa. (Ex: “Eu me tornei mais experiente.”, “Eu me desfiz de amizades tóxicas.”, “Eu me aproximei dos meus pais.”)

3- Crie novas ambições logo após a dica n.2:

*Aproveite o desapego dos pesos antigos que te prendiam e pense grande!

*O que você sempre quis fazer e ainda não teve coragem? Reflita sobre isso.

*Anote, se precisar de ajuda peça e comece a correr atrás da forma que puder.

4- Dica extra: Medite sempre que puder. Do seu jeito e no seu tempo!

#comportamento #bagagememocional #dicas  #empatia #lifestyle #pazinterior #ansiedade #costumes #hábitos #emoções #sentimentos #problemas #desenvolvimento #saudeemocional #autoconhecimento #pensamentos  #psicoterapia #psicologia #experiencias #vivencias

Anúncios