Começando uma coleção de arte

Seja uma pintura feita à mão, uma impressão fotográfica do Teatro Amazonas ou uma tatuagem simbolizando o seu amor pela terrinha. Todos podem comprar e colecionar arte de forma acessível, mas a chave para ser um bom colecionador é optar por obras que invoquem emoções, sempre confiando nos seus instintos

De acordo com o dicionário, “arte” é a aptidão inata para aplicar conhecimentos, usando talento ou habilidade, na demonstração de uma ideia ou pensamento. Ou seja, arte é o resultado de diferentes formas de manifestação de um artista. Por meio das suas percepções, sentimentos e emoções, o criador produz obras que se apresentam de diversas maneiras, como na pintura, fotografia, música, cinema e por aí vai.

Partindo desse reconhecimento, é irreal a ideia de que apenas Mona Lisa de Da Vinci ou a Nona Sinfonia de Beethoven podem ser consideradas obras de arte. Quem já decorou o quarto ou a sala com pinturas, fotografias, painéis e artes digitais de artistas independentes sabe do que estamos falando: qualquer produção artística feita de forma original pode ser considerada uma grande obra, e justamente por isso começar uma coleção em casa se torna cada vez mais fácil.

Outro fator que facilita o início de uma coleção é o contato cada vez mais próximo com artistas. Um amigo da faculdade que desenha, um colega de trabalho que produz músicas, um vizinho que escreve textos e posta no Instagram. Todos são autores e a grande maioria deles procura monetizar seu trabalho.

Pensando nisso, resolvemos catalogar e conversar com alguns artistas da área independente de Manaus, juntando 3 dicas indispensáveis para quem deseja criar sua própria coleção de arte, incentivando assim o trabalho local e encontrando um estilo próprio enquanto investe no que traz prazer e alegria.

1ª dica: Todos podem colecionar arte!

Definitivamente qualquer um pode comprar obras de arte. Logo, qualquer um pode começar uma coleção. E não pense que só quem é rico pode se dar “o luxo” de participar dessa atividade. De acordo com o artista Stanley Rodrigues, conhecido em Manaus por suas obras de grafite, a arte em si tem se tornado cada vez mais acessível e diversificada tanto para o público que busca por novidades quanto aos que prezam pelo tradicional.

1

“A arte contemporânea consegue ter variados tipos de produtos autorais. Os grafiteiros e artistas de rua, por exemplo, estão com uma nova forma de expressão por meio de stickers (de whatsapp), vendendo sua arte por 5 reais, 15 reais dependendo do tamanho e da quantidade de detalhe que elas têm.” conta, o artista.

Stanley comenta também que, ao seu ver, para públicos mais maduros o artesanato tem sido uma forma de arte extremamente acessível, pois muitos têm o costume de colecionar peças feitas à mão para enfeitar ou personalizar móveis, o que faz da arte algo maleável, pois nestes casos os artistas têm a opção de inovar ou investir no tradicional, e isso dá mais oportunidade de escolha aos clientes.

2ª dica: Siga seus instintos!

Gosto não é qualidade. Só porque você não gostou ou se apaixonou por uma obra não significa que ela automaticamente ganhou ou perdeu o valor artístico. Por esse motivo, é aconselhado que ao comprar uma obra de arte você perceba os sentimentos e emoções que ela invocou em você. Busque comprar algo pelo simples motivo de que te faz sentir alguma coisa. Seja um sentimento ruim ou bom. O importante é sentir algo, como observa a artista digital local Larissa Mendes:

2“Em Manaus tem uma imensidão de artistas que utilizam diferentes tipos de arte como forma de expressão, então o público não é tão específico assim, mas é bom ter sensibilidade na hora de entender a arte.”

 

Durante uma entrevista para uma das mais renomadas academias de arte, a Royal Academy, o pintor inglês Norman Acroyd, conhecido principalmente por seu trabalho em aquatint, disse que logo de cara a pergunta que qualquer um deve fazer a si mesmo ao comprar algo é se você consegue viver com aquela obra pendurada na sua parede durante algum tempo.

Após ter uma resposta, o artista levanta outro questionamento ainda mais importante a ser feito. “Muitas vezes a verdadeira pergunta é se você conseguiria viver sem aquilo na sua parede. Se a resposta for não, esse é o momento que você realmente deve investir na obra sem medo.”, explica, Norman.

Tenha em mente que o seu gosto vai mudando e amadurecendo ao longo do tempo, porque isso é completamente normal. Você pode se apaixonar pela mesma obra diversas vezes e identificar outros significados em seus traçados de acordo com suas experiências de vida. Por isso, não se sinta pressionado a deixá-lo pendurado na parede por mais tempo que achar necessário. Siga seus instintos e se achar que precisa colocá-lo no armário ou movê-lo pela casa, faça isso.

3ª dica: Conheça os artistas ao seu redor!

Para um iniciante, essa é a maneira mais fácil, acessível e não intimidadora de se inserir no mundo da arte: trocar ideias diretamente com os artistas por meio das mídias sociais.

Hoje em dia, quase todos os artistas do cenário independente de Manaus possuem uma conta no Instagram para postar imagens dos seus trabalhos, em busca de alcançar maiores públicos. Muitos deles também postam textos sobre seus processos artísticos, datas referentes às suas próximas exposições e convidam seus seguidores a participarem como forma de interação mais íntima.

Mesmo assim, alguns ainda acreditam que existe uma certa barreira entre artista e público, como se esse contato mais direto fosse impossível, quando na verdade faz toda a diferença para ambos os lados.

1

“Tem o cliente que realmente quer comprar a sua obra e tem o cliente que quer usar do seu talento para recriar uma ideia na mente dele. As pessoas que aceitam as suas obras como elas são, geralmente querem ter um laço mais afetivo contigo. Elas querem ter conversas mais profundas sobre a arte, visitar o seu ateliê e saber onde serão as suas próximas exposições e isso faz toda a diferença para o artista. É um incentivo à arte local.”

Separamos algumas redes sociais de artistas em Manaus para que você possa colocar essa última dica em prática. Incentive seu artista local!!

 

  • @la.risca – (Desenhos e Colagens Digitais)

 

 

 

 

 

 

 

 

Colaborou: Duda Lima e Vanessa Rocha

Anúncios