Revista “Torquato” convida novos autores para colaborações

Um espaço livre de censura onde narrativas amazonenses podem, por meio da literatura, falar sobre as mais diversas problemáticas envolvendo racismo, lgbtfobia, machismo, fascismo e manifestações de preconceito e desigualdade. Essa é a proposta da revista digital “Torquato”, que, até dia 15 de novembro, abre suas páginas para voluntários que desejam publicar obras autorais na edição número 1 do projeto. A previsão é que o lançamento aconteça em janeiro de 2020.

Os interessados em colaborar devem acessar o site da revista e enviar suas obras de acordo com as diretrizes de subscrição dispostas na chamada de trabalhos. Serão aceitos poemas, contos, crônicas, trechos de romances e formatos experimentais, além de produções em artes visuais, como fotografias e produções digitais. Qualquer dúvida sobre o processo deve ser encaminhada aos editores pelo correio eletrônico revistatorquato@gmail.com.

De acordo com a editora da Torquato, a mestre em Ciências da Comunicação pela Universidade Federal do Amazonas (UFAM), Susy Freitas, os voluntários são encorajados a enviarem juntamente às suas obras uma biografia de até 500 caracteres. Dessa forma, o público pode conhecer um pouco mais das histórias e personalidades por trás de cada uma das publicações.

37

“Aos estreantes pedimos uma minibiografia falando sobre a sua formação acadêmica, o que o trouxe até ali e o que gosta de ler, por exemplo. A princípio não temos restrição a nenhum tipo de autor, porém buscamos abrir espaço o máximo possível para nortistas, especialmente do Amazonas, posto que os dois editores da revista são jornalistas amazonenses.”

– Susy Freitas

Ainda sobre os textos publicados na revista, Daniel Amorim, que também é editor do projeto, graduado em Comunicação Social pela UFAM e autor do livro “Zona de Sombra” (ganhador do Prêmio Literário Cidade de Manaus, em 2018), conta que os principais critérios na hora da avaliação são: qualidade literária e inventividade.

O jornalista diz que os trabalhos precisam possuir algo que provoque algum tipo de estranhamento no leitor, isso se estendendo também às artes visuais.

82“A revista é publicada exclusivamente on-line, misturando literatura e artes visuais num projeto gráfico que busca fugir do convencional.”

– Daniel Amorim

Para ele, a revista tem como principal objetivo a contribuição para a cena literária local por meio do intercâmbio de autores pouco conhecidos. Dessa forma, ocorre a inserção das produções amazonenses nas dinâmicas de publicações do Brasil. 

“É uma oportunidade para bons autores divulgarem seus trabalhos enquanto grandes editoras não batem à porta, embora isso não seja um atestado de qualidade”, esclareceu o jornalista.

Edição Zero!

Para quem não sabe, a revista Torquato publicou no final de outubro a sua edição zero, onde apenas autores convidados fizeram parte da coletânea introdutória do projeto. Uma das obras da edição foi a poesia “Palavras Mal Cozidas”, da Priscila Liraescritora nascida em Pitinga, no Amazonas, e mestre em Estudos Literários pela Universidade Federal do Paraná (UFPR).

Design sem nome (1)

De acordo com Priscila, além de ampliar os horizontes do público aos novos autores do Amazonas, a revista Torquato também se faz importante para futuras pesquisas na área de historiografia literária, facilitando possíveis buscas por escritores que atualmente são de difícil ou quase nenhum acesso.

Design sem nome“Essas revistas são realmente iniciativas que precisam acontecer em todos os estados. Não só para a divulgação imediata para o público, mas para a criação de um arquivo que facilite a descoberta desses autores posteriormente.”

-Priscila Lira

Quer dar uma olhada nas publicações da edição zero da Torquato? Clique aqui!

Anúncios